quinta-feira, 19 de março de 2009

Pai (Dad)

terça-feira, 17 de março de 2009

domingo, 8 de março de 2009

Mulher ... (Woman ...)


Feliz dia Internacional da Mulher


terça-feira, 3 de março de 2009

Love Hina ... a analysis




Este animé é basicalmente sobre as aventuras de 5 pessoas a viver numa residência de raparigas que pertencia previamente á avó de Keitaru, o uníco rapaz na residência.


This animé is basically about the adventures of 5 people living in a girl's residence that was previously owned by the grandmother of Keitaru, the only boy in the residence.



Keitaru estava a tentar entrar na universidade e infelizmente não consegue. Tinha sido a sua 2a tentativa e a sua mãe não ficou contente, e como uma forma de ultimato, a sua mãe disse que se ele não passa-se no exame outra vez ele iria começar a trabalhar. No ano seguinte ele chumba outra vez o exame e ele recebe uma chamada da sua tia para que ele fosse á residência da sua avó (a Residência Hinata). Quando ele chega á residência ele encontra 4 raparigas que vivem lá de uma forma peculiar (ele não sabia que a residência era só para raparigas e sem querer ele entrou numas termas naturais usadas pela raparigas e ... voces sabem o que aconteçeu ... ele levou das raparigas que estavam a tomar banho nas termas). Depois deste e de mais acidentes, ele diz a sua tia que ele ainda estava a tentar entrar na faculdade e que não estava preparado para ser o gerente da residência. Contudo, depois do 2º dia na residência ele começou a gostar de estar lá e aceitou o cargo de gerente da Residência Hinata. As outras personagens estava contra a sua estadia, mas passado um tempo, elas habituaram-se á sua presença e desenvolveram uma relação tipo familar com ele.


Keitaru was trying to entered college and unfortunatelly didn't make it. It was his 2nd attempt and his mother was not happy, so, as a form of ultimatum, his mother told him that if he didn't pass the exam again he would start working. The year after he fails the exam again and he gets called by his aunt to go to his grandmother's residence (Hinata Residence). When he arrived to the residence he meets the 4 girls that are living there in a peculiar way (he didn't know he was in a girls residence so he mistakenly enters the natural therms used by the girls and ... you know what happened ... he got beaten up by the girls that were taking a bath in the therms). After this and some more accidents, he tells his aunt that he was still trying to enter college and he was not prepared to take care of the residence. However, after the 2nd day on the residence he started to like it there and accepted the job as manager of the Hinata Residence. The other characters living in the residence were against his stay, but after a while they got used to him and actually developed a family like relationship with him.



Com o passar dos episódios e o desenvolvimento da história, Keitaru apaixona-se com uma das raparigas (Naru). A sua relação com ela é complicada, pois ele é constantemente interropido todas as vezes que ele tenta dizer-lhe o que sente (e vice versa) por confusões e acidentes constantes que levam a que haja um certo atrito. Contudo, é a partir dessas confusões e acidentes peculiares que se conheçe melhor as diversas personagens: Shinobu, uma rapariga nova (quase da mesma idade que Kaolla, a mais nova das raparigas) muito tímida que entra na residência pelos seus dotes culinários que está aos cuidados de Keitaru; Kaolla, a mais nova e peculiar das personagens foi deixada misteriosamente na residência e que anda no ensino básico; Motoko, uma das mais velhas que está a treinar para ser uma samurai; Mitsune, aparentemente a mais velha das raparigas, engenha todo o tipo de confusão e que é super irresponsável e a Naru, que está a tentar entrar na universidade também como Keitaru e, conjuntamente com Mitsune, é a mais responsável e estável das raparigas, mesmo que as vezes ela seja demasiado violenta com Keitaru.

Through out the episodes and the development of the story, Keitaru falls in love with one of the girls (Naru). His relationship with her is tricky, since he gets constantly interrupted everytime he tries to tell her how he feels (and vice versa) by constant misunderstandings and acidents that create a certain hate. However, it's with all there confusion and constant accidents that you get to know all the characters better: Shinobu, a young girl (almost the same age as Kaolla, the youngest of the girls) extremely shy that enters the residence because of his cooking skills and is at the care of Keitaru; Kaolla, the youngest and peculiar of the girls was left misteriously at the pension and is at junior high school; Motoko, one of the oldest that is training to become a samurai; Mitsune, aparently the olde of them all, plans all sorts of confusions and is super irresponsible and Naru, that is trying to enter college like Keitaru and, along with Mitsune, is the most responsible and stable of the girls, even if sometimes she's too violent towards Keitaru.



Minha opinião sobre este animé é que é uma comédia romântica leve que mistura absurdos e parvoiçes com emoções e personagens que as pessoas podem-se identificar e gostar. Pode ser algo animado e considerado juvenil, mas ao longo do desenvolvimento da história as personagens tornam-se mais maduras e há maior intesidade emocional que enriqueçe, de certa forma, o conteudo. Para quem gosta de animés mais "girly" e a cultura japonesa eu aconselho. A minha avaliação desta séria é *** ( de 1 a 5)


My opinion about this animé is that it is a light romantic comedy that combines the absurd and sillyness with emotions and characters that people can identify with and enjoy. It can be something animated and considered juvenile, but with the development of the story the characters become come mature and there's a bigger emotional intensity that , in some way, gives more content to the serie. I advice this to the people that enjoy a more "girly" animé and the japanese culture. My evaluation of this serie is *** (from 1 to 5)

Amor é ...

Olá!! Hej!!


Há muito tempo que não escrevo aqui, mas agora sinto uma enorme necessidade de escrever ... escrever imensa coisa

I haven't written here for a long time, but now I feel a huge need to write ... write alot of stuff


Hoje é 4 de Abril. Estou em Portugal há quase 4 meses. O regresso foi feliz, contei todas as novidades e tudo aquilo que me aconteçeu na Suécia. Tive visitas em Fevereiro :) as minhas primas vieram da Suiça :) Eu não as via há anos!!

Today is 4th April. I'm in Portugal for almost 4 months. The comeback was happy, told all the news and everything that happened in Sweden. I had visits in February :) my cousins came from Switzerland :) I haven't seen them in years


Durante esse tempo não tinha aulas e fiquei em casa ... tinha certas coisas para tratar, mas depois disso passava tardes e dias inteiros em casa ... passei o tempo a ordenar as minhas coisas ... a tornar o meu antigo espaço mais em harmonia comigo e com as minhas mudanças emocionais. Nessa altura senti-me um pouco só, mas estava com esperança que as coisas mudassem quando as aulas começassem.

During the time I didn't have classes I stayed at home ... had certain things to take care of, but after that I spent days and afternoons at home ... spent time organizin my things .. changing my old space more in harmony with me and my emotional changes. On that time I was feeling a bit lonely, but was hopefull that things would change when classes started.


Os primeiros dias e semanas passaram a correr, as novidades foram vindo e todos estavam contentes e alegres com a minha vinda e perguntaram-me coisas sobre a Suécia, até a parola pergunta "então Rita, arranjaste namorado na Suécia?" sabendo bem que uma pessoa como eu não atraí ninguém, nem o "nerdiest of the nerds", mas é normal as pessoas perguntarem isso e eu ri em conjunto ("se não os consegues vencer, junta-te a eles"). Os professores pediram todos trabalhos de grupo e com isso veio confusão e dramas ... coisas que eu dispenso. As pessoas voltaram-se novamente para os seus grupinhos e eu senti-me sozinha outra vez ... posso não ter a melhor técnica, mas sempre que tento alguma aproximação só sinto distância ... só apenas um pequeno grupo de raparigas têm aproximado de mim.

The first days and weeks passed running, the news passed by and all were happy

Com tudo o que passei na Suécia agora percebi o real valor das pessoas e estou a sentir na pele uma rejeição que começou comigo e que elas acentuaram. Não digo que esta solidão é causada pelas outras pessoas, admito que eu também não sou uma pessoa lá muito sociável, mas a minha aparência também não ajuda ... Se eu tivesse um aspecto diferente de certeza que as coisas iriam ser diferentes ... se eu fosse alguem mais "bonita","elegante" e que mais de certeza que estaria mergulhada em rapazes a beijar-me os pés, mas eu não sou isso e a única coisa que dou é repulsa.

Assim começei a sentir-me em baixo ... algo que raramente me aconteçia na Suécia, mas que aconteçe frequentemente aqui em Portugal ... Senti-me e aindo me sinto isolada. Os meus pais dizem as mesmas coisas "tu não mudas, tu não te esforças ... porque não convidas pessoas? porque não vais a isto?" e eles têm razão, mas sempre que ouço as conversas das pessoas elas pareçem ser tão vazias, tão parolas e quando se tenta falar de algo com mais conteúdo tornam-se numas snobs autênticas que têm de estar constantemente certas sem falar daquelas pessoas que gostam de ser "o pastor" e ter o seu "rebanho" de seguidores ... e querem que convide este tipo de pessoas para estudar em casa? querem que vá a festas com este tipo de pessoas? querem que faça coisas com essas pessoas? Eu não gosto desse tipo de pessoas! e há ainda tantos outros que também não vale a pena associar ... mas contudo não há outra solução á solidão que alinhar com isto ... como disse anteriormente "se não os consegues vençer, junta-te a eles".

As pessoas que conheçi na Suécia não pareciam ser assim, mesmo que este tipo de pessoas exista em todos os lados ... aqueles que considero meus amigos não pareçem ser assim e entristeçe-me que eu nao consiga identificar-me com alguem cá e que tenha que ir para o estrangeiro encontrar um grupo de pessoas com quem me identifico ... deixa-me muito, muito triste.

É com uma dessas pessoas com quem me dou bem que tenho discutido sobre Amor e Relações. Amigos ajudam-se entre si e é nesse aspecto que tento dar conselhos e dou minhas opiniões. Eu não tento ser influenciada e penso sempre antes de dar uma resposta e são nesses momentos de racionalidade que mergulho mais em dor (a dor do real ... muito muito má).

O Amor, na minha perspectiva é algo difícil de definir, pois há muitos aspectos em ter em conta e a minha cabeça esta constantemente dividida nesse aspecto. Um dos aspectos que gostaria de dizer que é verdade, mas nem sempre é assim, é que o amor não é apenas algo físico ... é uma atracção física e mental que uma pessoa têm por outra. Isso pode ser verdade em todos os sentidos para certas pessoas, mas parte de mim diz que isso é apenas um sonho ... é obvio que nem todos os homens olham para a personalidade das mulheres e só querem ter um trofeu para mostrar aos seus amigos, mas quando esse trofeu abre a boca para falar só diz ... yap, não se pode negar que há homens que só querem o físico e que preferem estar com uma pessoa que nem sequem 1 frase consegue dizer do que uma mulher que têm força e determinação mas que não têm o rabo perfeito ou as tais curvas que o homens gostam.

Mas será que aquilo que essa tal parte da minha cabeça me diz totalmente verdade? será que esse tipo de comportamento pode ser considerado Amor? lógicamente eu diria que não, que isso é apenas "lust", um impulso que se têm. Para certas pessoas esse impulso sexual é tão importante e necessário que não conseguem separa-lo dos sentimentos e emoções que se sente com outra pessoa e talvés pelo facto dos homens estarem constantemente a negarem as suas emoções que vão por essa saída fácil dos impulsos e vão ao "sex toy vivo" que lhes convêm. Será que nós, mulheres, temos que ia ao ponto de sermos meros objectos sexuais para sentirmos algum afecto, atenção e carinho?

Mas a outra parte de mim acredita que existem homens que também olham para o lado emocional e preferem ter uma conversa mais estimulante do que uns bons seios ou rabo. Essa parte de mim acredita que há homens que são capazes de querem uma pessoa porque a sua companhia lhe dá prazer, porque consegue ser ele próprio com essa mulher e deseja ser mais intímo com ela, deseja conheçe-la melhor ... deseja juntar-se com ela em mente e dividir sua vida com ela e quer estar a seu lado sempre, nos maus e bons momentos, mesmo que seja gorda ou magra, alta ou baixa. Este tipo de relação é difícil e complicada de atingir, mas acredito que há várias maneiras de chegar lá, apenas se têm que encontrar a certeza que há correspondência entre sentimentos, e se essa tal pessoa sentir o mesmo que a outra não importa como agirmos e se dizemos as coisas certas ... apenas é preciso definir o local e momento certo.

A realidade não diz o mesmo e há que concordar que Amor sem esse tal impulso sexual não têm força nem impacto, e se que se quer ser intimo com alguem não basta só conversar e conversar ... é preciso querer agir e fazer algo que marque as vida dos dois e que satisfaça os dois para fortificar a relação e não há nada mais satosfatório que o sexo? Podemos dar super bem com uma pessoa, mas haveria um momento em que quer satisfação e chegar a um nível acima e isso nem sempre resulta se houver repulsa do corpo da outra pessoa.

Outro aspecto importante no Amor é que ele trás dor e prazer e sem os dois este não teria muito sentido. O Amor têm o impacto que têm porque quando as coisas resultam trazem imenso prazer e satisfação e tudo pareçe estar certo e colorido ... mas quando se deseja alguem e se pensa que esse alguem é especial e depois essa pessoa faz ou diz algo contrario ao que se queria as coisas azedam e dá imensa dor ... nesse aspecto eu não estou dividida e todos concordam de certeza. Isto da dor e do prazer não está separado e vem como um ciclo, por vezes as coisas correm bem e está-se feliz, mas depois algo aoconteçe e a dor vêm junta e só quando se conseguir estar num certo equilíbrio emocional e não se estiver tão frustado com o amor é que o ciclo positivo vêm ... e como é-me dito imensas vezes, acredito que isso sempre aconteçe de supresa e quando menos se espera.